Maia ameaça deixar articulação da Previdência

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), comunicou o ministro da Economia, Paulo Guedes, que irá deixar a articulação pela reforma da Previdência. Maia decidiu abandonar a condução dos trabalhos políticos pela reforma após ler mais uma publicação do vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), com severas críticas a ele. Incomodado, o deputado telefonou para o ministro da Economia e disse que, se for para ser atacado nas redes sociais pelos filhos de Bolsonaro, o governo não precisa de sua ajuda.


A reportagem do jornal O Estado de S. Paulo informa que "a ligação do presidente da Câmara para o titular da Economia foi presenciada por líderes de partidos do Centrão. Maia está irritado com a ofensiva contra ele nas redes, com a falta de articulação do Palácio do Planalto e com a tentativa do ministro da Justiça, Sergio Moro, de ganhar mais protagonismo na tramitação do pacote anticrime. 'Eu estou aqui para ajudar, mas o governo não quer ajuda', disse o presidente da Câmara, segundo deputados que estavam ao seu lado no momento do telefonema. 'Eu sou a boa política, e não a velha política. Mas se acham que sou a velha, estou fora'."


A matéria ainda acrescenta que "Carlos Bolsonaro, o filho 'zero dois' do presidente, compartilhou ontem nas redes a resposta de Moro à decisão de Maia de não dar prioridade agora ao projeto que prevê medidas para combater o crime organizado e a corrupção. 'Há algo bem errado que não está certo!', escreveu Carlos no Twitter. O texto acompanhava nota de Moro, divulgada na noite de quarta-feira, rebatendo ataques de Maia à sua insistência em apressar a tramitação do pacote. 'Talvez alguns entendam que o combate ao crime pode ser adiado indefinidamente, mas o povo brasileiro não aguenta mais', afirmou Moro. Além disso, no Instagram, Carlos lançou uma dúvida: 'Por que o presidente da Câmara está tão nervoso?'."

Fonte: Brasil247

 

Acesso Restrito

Rede NCST Sindical

ncst-rede